Storm é campeão paulista de futebol americano

Storm bloqueia corridaCom uma vitória contundente por 31×00 para cima do Vipers Army, no último domingo (08/06), o São Paulo Storm é o novo campeão paulista de futebol americano. Esse foi o quarto campeonato em cinco disputas, mas teve um gosto especial, já que foi a primeira vez que o time não levou nenhum ponto durante todo o torneio: ao todo, foram cinco partidas com 201 pontos anotados. Com a conquista a equipe mostrou que chega forte para a disputa do campeonato brasileiro, que começa no fim de julho.

A partida, que foi disputada na cidade de São Bernardo do Campo, recebeu um bom público, que pode acompanhar de presente um jogo limpo, sem grandes problemas para a arbitragem e bem conduzindo pelos dois elencos. Desde o início, o que se viu foi muita força de vontade de ambos para fazer daquele a melhor partida disputada até aqui na temporada.

E essa vontade se mediu logo no primeiro drive, quando o Storm buscou anotar o primeiro touchdown do jogo e foi impedido pela defesa sorocabana, que conteve as tentativas na linha das 25 jardas do próprio campo de defesa. Apesar de impedir que a bola chegasse à endzone, a Tempestade anotou os três primeiros pontos no placar com um field goal anotado pelo kicker Felipe Gadeilha.

Atrás do placar, o Vipers buscou a recuperação, mas no futebol americano não basta vontade, e as víboras viram suas tentativas frustradas pela boa atuação da defesa azul, que pressionava pelo meio e fechava os buracos para a corrida, principal arma adversária. Sem conseguir avançar, Sorocaba se viu obrigada a devolver a bola, o que possibilitou ao Storm mais uma boa campanha, que terminou com um touchdown de corrida do running back Alan Giamas.

Aberta a diferença inicial, Vipers Army e São Paulo Storm se dividiram na posse de bola, sem muito avanço de cada um dos lados. O placar só mexeu novamente já no fim do segundo quarto, quando o quarterback da Tempestade, Cauan Silva, conectou um bom passe para o wide receiver Leandro Fratini. Com a conversão do ponto extra, o time da capital fechou o primeiro tempo vencendo por 17×00.

A dinâmica do segundo tempo não mudou: o Vipers tentava segurar a posse de bola e seguia correndo, enquanto o Storm aproveitava as chances que tinha para anotar. E na única chance que Sorocaba teve de anotar – por meio de um field goal – foi a defesa azul que acabou marcando um touchdown por meio do linebacker Victor Pitbull, que recuperou a bola após o bloqueio do chute e levou a oval até a endzone.

Já em clima de festa pelo tetracampeonato no paulista de futebol americano, o Storm ainda anotou mais um touchdown de passe, agora numa conexão entre o QB reserva Gustavo Urlacher e o tight end Luiz Domingues. Na conversão extra, a tempestade Paulista anotou outros dois pontos, que fecharam o placar da final em 31×00.

O Storm volta as atenções agora para o campeonato brasileiro de futebol americano e o Rio Preto Weilers, primeiro adversário dos cinco que a equipe enfrentará na fase regular da competição.

Storm luta pelo quarto título no paulista de futebol americano

storm chega na final para enfrentar o VipersO São Paulo Storm entra em campo no próximo domingo (08/06, às 15 horas) com a difícil missão de superar o Sorocaba Vipers, o tradicional rival da Tempestade, para assim conquistar o quarto título paulista de futebol americano da história da equipe. Os times, que já se enfrentaram esse ano (com vitória do Storm por 28×00) pelo mesmo torneio, chegam embalados para brigar por cada jarda em campo. A novidade fica para o local do confronto: São Bernardo do Campo, cidade da Grande São Paulo, que permitirá, assim, que os fãs do futebol americano da capital acompanhem tudo de perto sem necessidade de viajar.

O Storm lutará também para manter a escrita dos últimos cinco anos, período em que a equipe não sabe o que é perder para as víboras sorocabanas. No histórico geral do confronto, levando em consideração os períodos de flag, half pad e equipamento completo, a Tempestade acumula recorde positivo de 14 vitórias contra seis derrotas. A curiosidade fica para o fato desses times terem sido os primeiros a jogar o futebol americano no estado de São Paulo, além de terem sido os primeiros representantes paulistas nos campeonatos brasileiros.

Sem problema de contusões, o São Paulo Storm entrará em campo com força máxima, pronto para repetir as atuações anteriores de 2014, quando não anotou menos do que 28 pontos e se manteve sem tomar nenhum ponto em contrapartida, resultado fruto do trabalho forte de treinamentos e reuniões táticas que o time adotou para o ano. Ao todo, são três treinos semanais e reuniões que analisam o desempenho do time e dos adversários a serem batidos.

A partida acontecerá a partir das 15 horas, no Esporte Clube Riacho Grande (São Bernardo do Campo), que fica próximo à Rodovia Anchieta. O endereço: Rua Marcilio Conrado, 500. Para visualizar o endereço no mapa, siga: https://goo.gl/maps/K7jQ3. A entrada é franca.

O Storm enfrenta o Vipers pela final do paulista de futebol americano

No flag, Storm conquista primeiro título do ano

O São Paulo Storm faturou ontem, domingo (01/06), o primeiro título do ano ao vencer a etapa paulista do Circuito Nacional de Flag Football. Com ótima atuação de todo o elenco, a Tempestade Paulista garantiu com isso a participação na chamada Superfinal do Campeonato Brasileiro, que será disputado no fim do ano. De quebra ainda recebeu os prêmios de melhor atleta tanto para o ataque, com a center Catarina Souza (convocada para a seleção brasileira), quanto para a defesa, com a novata Isabela Januário.

O torneio, que aconteceu no Cepeusp (centro esportivo da Universidade de São Paulo), recebeu um bom público para acompanhar os jogos que envolveram também o Spartans Football e o Cronos. Em um sistema de triangular, o melhor levaria o troféu e a vaga direta para as finais do Brasileiro. O segundo, conquistaria o direito de disputar os playoffs.

E foi no espírito do tudo ou nada que o Storm entrou focado na flag adversária. Na primeira partida, sem dar chances ao adversário, fez purê do Cronos ao vencer por 41×13. Destaque para a produção do ataque, que diversificou as jogadas e surpreendeu na distribuição das bolas: cada uma das sete wide receivers disponíveis para o torneio marcaram pontos, seja touchdowns ou pontos extras.

Com a vitória do Spartans para cima do próprio Cronos, sobrou para a reedição da partida que decidiu o título da etapa 2013, a definição de quem levaria a melhor dessa vez. E repetindo a estratégia de diversificação no ataque e pressão na defesa, o Storm superou as espartanas por 32×14. Resultado conquistado graças ao foco na aplicação tática do time, que não deu espaço para que as rivais pudessem reagir.

O São Paulo Storm espera agora as etapas do Circuito Nacional de Flag que acontecerão no Rio de Janeiro e no Centro-Oeste para saber quais as equipes que também participarão da superfinal do Brasileiro. Além da Tempestade, as Valkyrias de Manaus também já garantiram participação.