Storm vence Corinthians e está na final do Paulista

Com uma atuação digna do tamanho do clássico, o São Paulo Storm venceu o Corinthians Steamrollers por 10×03, em partida válida pelas semifinais do Paulista de futebol americano da Fefasp. Com o resultado, a Tempestade garantiu a presença na decisão do torneio, quando enfrentará o Campo Grande Gravediggers, dia 12 de julho – na cidade de Osasco (SP). Será a quarta final de estadual seguida para o time azul, que brigará pelo pentacampeonato.

“Muito se falou sobre a qualidade desse grupo e quanto ele ficava abaixo da nossa história. Tivemos dificuldades, mas quando entendemos que precisávamos recuperar nossa essência, encontramos o caminho”, revela o treinador principal do Storm, William Zapparoli.

O que poucos sabem é que a equipe passou por uma reformulação completa em 2015. Ao todo, mais de quinze atletas do time principal são novatos, uma nova comissão técnica foi montada e alguns nomes importantes do elenco se contundiram ainda no início da competição.

Mas engana-se quem pensa que para o Storm o campeonato acabou. “O favorito ao título é o Gravediggers, são eles que possuem a melhor campanha, a invencibilidade e dominaram todas as partidas até aqui. Nós continuaremos focados no trabalho e na execução do nosso planejamento, o que vier será fruto dessa dedicação”, explica Zapparoli.

O jogo: batalha nas trincheiras fez a diferença

As análises davam conta de que uma primeira campanha bem sucedida faria toda a diferença para o Storm. E foi com esse objetivo que a Tempestade entrou em campo. Logo de cara, um retorno que colocou o ataque na linha de 50 jardas. Lance após lance, a equipe azul ganhava território, apesar da pressão corinthiana. Já próximo à endzone, o running back Alan Giamas conseguiu furar o bloqueio e anotar o primeiro touchdown do jogo, que ainda teve o ponto extra convertido pelo kicker Felipe Gadeilha: 7×0.

Sem contar com o principal alvo do corpo de recebedores (Vitor Hugo), o Steamrollers buscava ganhar espaço, mas era dominado pela defesa azul. A disputa pelo espaço na linha era intensa e o perde e ganha era mínimo. Qualquer falha poderia ser fatal para qualquer um dos lados.

Esse foi o tom dali para frente. Corinthians avançando, mas sem efetividade, Storm impedindo pontos, mas sem conseguir aumentar o placar. Mas, antes que o segundo quarto acabasse, o Steamrollers ainda conseguiria diminuir a diferença por meio de um field goal anotado por Ramon Verdugo.

Todos sabiam que se a primeira parte do jogo demonstrou-se tensa e pegada, o segundo tempo tinha tudo para arrepiar. E foi o que aconteceu.

Entre trocas de posse de bola e tentativas frustradas de avanço, o Storm obteve uma vantagem que passaria a fazer toda a diferença dali para o fim da partida: field goal de 37 jardas anotado por Gadeilha e 10×03 no placar. Vantagem que somente seria igualada com um touchdown adversário.

Dali em diante foi ataque alvinegro contra defesa azul. Avanço de um lado e outro, linhas combatendo e jardas conquistadas e perdidas dos dois lados. Foi quando, em meio a uma tentativa de passe do Corinthians, faltando pouco mais de um minuto para o fim do jogo, o safety Anderson Forato interceptou a bola e colocou fim à tensão.

A interceptação que deu a vaga na final. | Crédito: Flávio Torres
A interceptação do safety Forato, que deu a vaga na final. | Crédito: Flávio Torres

A final do campeonato paulista acontecerá no dia 12 de julho, na cidade de Osasco – com horário a se confirmar. O estádio a receber a partida entre Storm x Gravediggers será a Arena Bradesco. Em breve, informações sobre ingressos.

Dez verdades sobre o clássico Storm x Steamrollers

No próximo domingo, dia 28/06, na cidade de Leme (SP), São Paulo Storm e Corinthians Steamrollers se enfrentam pelo Campeonato Paulista de futebol americano da Fefasp, em partida válida pela semifinal da competição. Essa não é a primeira vez que os dois times se encontram no ano, uma vez que ambos já se cruzaram na fase regular da temporada (com vitória do Steam por 29×00), mas o fato é que agora é para valer: somente o vencedor sobreviverá e poderá brigar para se declarar pentacampeão estadual.

Mesmo que o embate seja recheado de rivalidade, pouca gente conhece as histórias que cercam o clássico, uma vez que ambos permaneceram em ligas distintas entre 2012 e 2015, tanto em nível estadual quanto nacional. E para que todos saibam o que gira em torno dos motivos que fazem desse jogo o mais esperado do ano em São Paulo, conheça dez verdades sobre o clássico Storm x Steamrollers.

1- São quatro títulos estaduais para cada lado

São Paulo Storm e Corinthians Steamrollers, até 2011 faziam parte da mesma liga: a LPFA. Juntos, jogaram dois campeonatos paulistas, 2010 e 2011. O primeiro, vencido pela Tempestade, o segundo, pelo Steam, que a partir de 2012 passou a atuar nos torneios da Fefasp. Daí em diante, ambos levaram os estaduais de 12, 2013 e 2014. Somente um, a partir de agora, poderá ser pentacampeão ainda em 2015.

Tetra? Os dois times já bancaram o Galvão Bueno.
Tetra? Os dois times já bancaram o Galvão na Copa de 1994.

2- Teve Brasileiro com os dois no mesmo torneio
Se engana quem pensa que Storm e Steamrollers nunca estiveram no mesmo campeonato nacional. Ambos participaram, em 2010, da extinta Liga Brasileira de Futebol Americano (LBFA). Ainda nas discussões de organização de 2011, o Corinthians optou por disputar o TTd.

3- Jogadores de lá para cá e de cá para lá
Não foram poucos os atletas que atuaram de ambos os lados. Os mais emblemáticos são os americanos KC Frost (hoje no Flamengo) e Darrell Stewart, Leandro Fratini, Dhiego Taylor e Pedro Passarela (todos na Portuguesa, agora), William Zapparoli, atual treinador da Tempestade, além de outra dúzia de atletas que estiveram do lado azul e alvinegro.

4- As equipes jogaram quatro vezes
Foram quatro jogos entre os dois times na era do futebol americano. Cada um levou dois. O time de azul levou dois em 2010 (29×00 e 19×12) e o alvinegro outros dois, em 2011 (21×24) e 2015, justamente 29×00, maior placar de diferença que ambos aplicaram. Equilíbrio total, portanto, não adianta tentar intimidar usando vantagem em placares.

Como eu me sinto ao tentar intimidar um rival.
Como eu me sinto ao tentar intimidar um rival.

5- Os mais antigos
Poucos atletas presenciaram toda a história do confronto e estiveram presentes em todas as fases do clássico. Do lado do Storm, somente os receivers Vinicius Gaspar e Gabriel Rulli, o cornerback Vandiz Silva, o defensive end Renato Spy e o center Caio Torres estiveram em campo ainda na fase do flag.

6- Ambos dividiram a mesma sideline
Em apenas uma oportunidade, atletas do Corinthians e do Storm estiveram do mesmo lado do campo. E isso aconteceu no torneio de seleções estaduais de 2010, que aconteceu na cidade de Curitiba (PR). As equipes formaram a base que foi terceira colocada na competição.

7- O fator KC
KC Frost foi o melhor jogador a vestir a camisa de ambos. Pelas cores do Steamrollers venceu dois estaduais e dois Torneios Touchdown. Pela Tempestade, conquistou um terceiro estadual e ainda levou o Storm ao terceiro lugar do nacional. Ídolo, deixou sua marca por onde passou.

Frost em ação pelo Storm, pelo Paulista de 2013.
Frost em ação pelo Storm, pela Liga Paulista de 2013.

8- Todos os pontos anotados e sofridos
Se levarmos em consideração todos os pontos anotados e sofridos, o placar total entre as equipes é de 69×65 para o Storm.

9- As cidades que já receberam o clássico
Tempestade e Steamrollers tiveram a chance de se encontrar em quatro palcos diferentes: Embu e Votorantim (2010), Sorocaba (2011) e Leme (2015).

Partida realizada em Embu, no torneio de 2010.
Partida realizada em Embu, no torneio de 2010.

10- Quem leva o jogo de domingo
Sem dúvida, o jogo de domingo escreve uma nova página na história entre as duas equipes, já tão recheada de momentos reais e outros tantos de puro folclore. Ambos querem vencer. Ambos querem o título. Mas somente um deles permanecerá vivo. Que seja aquele que veste azul.

PARTIDAS_FA_Storm_Corinthians2

Storm vence Vipers e pega Corinthians na semifinal

No último sábado (21/06), o São Paulo Storm conquistou uma das vagas na semifinal do Campeonato Paulista da Fefasp ao superar o Sorocaba Vipers Army, pelo placar de 36×13. O resultado deu ao time a posição número dois no cruzamento dos quatro melhores do torneio. No próximo jogo, o confronto tão esperado: Corinthians Steamrollers, já na próxima semana.

Para quem apostou que a partida contra o Vipers seria pegada e muito movimentada, acertou. Com as equipes jogando com toda a força desde o início, todos sabiam que as pequenas falhas é que fariam a diferença no final.

E foi justamente nos detalhes que o Storm tirou proveito para abrir o placar logo de cara. Com ótima atuação de todo o ataque, principalmente do quarterback Diego Clouston – que conquistou definitivamente a posição de titular – e do corpo de recebedores, a Tempestade tratou de abrir o placar ainda no primeiro quarto, com Luiz Domingues. Com a conversão de dois pontos, a vantagem se estabeleceu em 8×0.

O Vipers tentava o avanço aéreo e encontrava algumas aberturas na secundária azul. Mas, apesar de avançar, não conseguia causar maiores danos, ao contrário do Storm, que jarda a jarda, avançava no campo e mostrava ter encontrado o melhor ritmo. Fruto disso foi a marcação do segundo touchdown do dia, de novo na conexão Clouston-Domingues. Placar: 14×00.

Com a vantagem no placar, a Tempestade entrou no segundo quarto com tranquilidade, e antes do intervalo anotou um terceiro touchdown, agora com o running back Alan Giamas, que recebeu mais um passe preciso de Clouston. Sem a conversão de ponto extra, placar em 20×00.

O segundo tempo começou com um Vipers mais agressivo, tentando tirar o zero do placar. E após uma falha do Storm, as víboras conseguiram o que queriam: saíram do zero. Mas a alegria não durou muito, já que a Tempestade acabou anotando um quarto TD por meio de um inspirado Luiz Domingues.

Com a vitória na mão, o Vipers teve tempo para anotar mais um touchdown, novamente respondido pelo Storm, por meio de um preciso passe para o receiver novato Felipe Bernardelli, dando números finais ao placar: 36×13.

“Entendemos que a chave para o crescimento está em pensar em cada passo, isoladamente. Isso deu um novo alento à equipe, um novo foco, estamos satisfeitos com o resultado, mas sabemos que não ganhamos nada. Nosso próximo desafio é o mais importante até aqui e entraremos focados novamente na execução”, ressaltou William Zapparoli, treinador da equipe.

A equipe aguarda agora a definição da Fefasp sobre o local e hora do próximo jogo. Mas uma coisa é certa: será um jogo digno para a importância de uma semifinal.

Storm e Vipers lutam por vaga no Paulista

Chegou a hora de mais um confronto eliminatório para a equipe masculina adulta do São Paulo Storm. O adversário da vez será o Sorocaba Vipers Army, em jogo válido pelas fase de quartas de final do campeonato paulista de futebol americano da Fefasp. O embate está marcado para acontecer amanhã (20/06), na cidade de Sorocaba (SP), a partir das 14 horas.

A partida é a reedição da final de 2014 da LPFA, campeonato que ambos atuavam até a última temporada. O placar: 31×00 para a Tempestade. “Mas tudo isso é passado, a vitória na temporada anterior ficou na história e sabemos que encontraremos um adversário mais organizado taticamente e mais forte”, analisa o treinador principal do Storm, William Zapparoli.

Retrato da evolução do adversário é o fato do Vipers ter terminado invicto e com a melhor campanha na divisão norte da conferência metropolitana, enquanto o Storm terminou com a segunda posição na divisão sul. Mas Zapparoli deixa claro: “assim como o título é passado, nossa campanha na temporada regular também é. Esperem um time focado, concentrado e atento aos objetivos que traçamos”.

A exemplo do que aconteceu no último jogo, onde a Tempestade saiu vencedora frente ao Limeira Tomawalk, o time terá que superar as contusões de peças importantes para permanecer vivo, o que traz preocupação mas não assusta o treinador, que garante que as faltas trazem para os que entram, ainda mais vontade de vencer.

A partida entre São Paulo Storm x Sorocaba Vipers Army acontece amanhã (20/06) em Sorocaba, a partir das 14 horas, na Comatec: Rodovia Emerenciano Prestes de Barros, km 5,5 – Bairro Caguaçu. A entrada é franca.

Storm busca nova vitória no Paulista de flag feminino

No próximo sábado, a partir das 15 horas, em Guarulhos, o São Paulo Storm entra em campo para a segunda partida da temporada regular do estadual de flag feminino, organizado pela Fefasp. O adversário será o Underdogs Football, em uma rodada que terão outros dois jogos.

O campeonato, que tem sido utilizado pela Tempestade Paulista para manter o elenco em atividade, colocará as equipes frente a frente pela terceira vez na temporada. Nas duas oportunidades anteriores, o Storm levou a melhor. “Não importa o que já passou, nosso foco é na próxima partida”, coloca Victoria Guglielmo, uma das treinadoras da equipe azul.

Quanto ao elenco disponível para a partida, a previsão é contar com o que se tem de melhor, incluindo as atletas que no último fim de semana participaram dos treinamentos da seleção brasileira.

O jogo São Paulo Storm x Underdogs Football começa às 15 horas, com entrada franca. O endereço do Estádio da Ponte Grande é Avenida Domingos Fanganielo, 317 – Guarulhos (SP).