Storm leva o título da etapa Playoffs do Circuito Nacional de Flag

Depois de dois dias intensos de flag debaixo de um sol insistentemente forte, o time feminino do São Paulo Storm conquistou o título da etapa regional do Circuito Feminino de Flag, ao derrotar cinco das melhores equipes do País. O torneio, que aconteceu em Saquarema no último fim de semana, reuniu também Cronos Football e Spartans Football (SP), Fluminense Guerreiras e Vasco (RJ), além do Panteras (ES). Com o resultado, a equipe azul conquistou uma das vagas para a Superfinal da competição, que acontecerá no fim de outubro.

O torneio foi disputado em duas fases: uma de grupos, com três equipes cada, e um cruzamento final eliminatório, com os melhores times. O primeiro desafio foi contra o Cronos, onde o Storm acabou levando a melhor por 21×06, depois de um início titubeante. Destaque para a estreia da atleta Juliana Maras, que até a temporada passada fazia parte da equipe do Fluminense.

No segundo confronto do dia, a Tempestade precisou usar a calma e a tranquilidade para não cair no jogo mental que a equipe do Vasco tentava fazer. Com boas atuações, sobretudo das atletas da defesa, a segunda vitória veio pelo placar de 26×00. Uma terceira vitória, sobre o rival estadual, Spartans, por 20×06, decidiu a vaga para a final.

Com menos de 12 horas para descansar, a Tempestade entrou em campo para enfrentar as Guerreiras do Fluminense. Em uma partida cheia de viradas e alternando quem tinha a vantagem no placar, o final só podia ser eletrizante, decidido no erro de conversão de um ponto extra por parte das cariocas, selando o placar de 20×19 a favor do Storm.

A Tempestade aguardará agora a definição da etapa regional Centro-Oeste/Norte, que acontecerá nos dias 5 e 6 de setembro (em Campo Grande/MT), para saber quais serão todos os adversários na Superfinal do Circuito Nacional, que acontecerá entre os dias 31/10 e 2/11, em local a ser definido.

Classificação final
Storm (4-0)
Flu (3-1)
Spartans (2-2)
Cronos (1-3)
Vasco (1-2)
Panteras (0-3)

Storm vacila e perde para White Sharks

Após três quartos impecáveis, onde chegou a liderar o placar por 17×00, o São Paulo Storm tomou a virada e amargou a primeira derrota na Superliga Centro-Sul. Com uma atuação de superação, o Itapema White Sharks levou a melhor por 20×21, em partida que aconteceu no último sábado (15). A derrota inesperada obrigará ao time paulista focar nas vitórias para continuar na briga pelo título.

“Em um campeonato equilibrado onde todas as equipes possuem diferenciais, derrotas como essa não são impossíveis. Teremos de redobrar o esforço para nos recuperar e a vitória é uma obrigação”, pondera o treinador principal da equipe, William Zapparoli.

E o desafio da recuperação passa exatamente pela necessidade de repetir a atuação das unidades da equipe no primeiro tempo. Sem dar qualquer chance ao adversário, o Storm não cedeu espaços e com dois touchdowns de passe (Jeff Henderson e Luiz Domingues) e um field goal de 38 jardas, convertido por Felipe Gadeilha, a Tempestade anotou 17 pontos. Destaque ainda para a atuação sólida do quarterback Diego Clouston, que terminaria a partida com um bom rating de 130.15 (aproveitamento de 63,2%).

Mas as faltas acabaram sendo um problema para a Tempestade. Tanto que o primeiro touchdown dos catarinenses acabou acontecendo em uma campanha que o White Sharks só obteve o firstdown por conta de uma bobeada da defesa. “Ao contrário do que aconteceu na partida anterior, nossa linha defensiva não conseguiu pressionar tanto e acabou dando espaço para a pontuação adversária”, explica Zapparoli.

Com a vantagem diminuindo e a pressão aumentando, o Storm chegou a efetivar a entrada do quarterback Gustavo Urlacher, que apesar de fazer boas corridas, não conseguiu levar o time da casa a outros touchdowns. Já a defesa, mesmo lutando, acabou sendo surpreendidade por uma trick play, o que deu ao Itapema a vantagem de um ponto no placar.

A emoção estava a flor da pele e com o ataque em campo, o Storm partiu para seu último e derradeiro drive. Carregou a bola o campo todo e, faltando pouco mais de oito segundos, posicionou a bola para um field goal de pouco mais de 25 jardas. Foi então que o inesperado aconteceu, e o field goal acabou indo para fora. Sem tempo no placar, restou ao time azul lamentar a falta de sorte.

Com campanha de 1-1 no Brasileiro, o Storm foca as ações na preparação para a partida contra o Arsenal, que acontecerá no Mato Grosso, em setembro. Não resta dúvidas de que será um jogo decisivo.

Storm pega o White Sharks pela segunda rodada do Brasileiro

A Superliga Centro-Sul entra na segunda semana de disputa e apresenta o próximo desafio para o time de futebol americano adulto do São Paulo Storm: o perigoso Itapema White Sharks, de Santa Catarina. O confronto acontecerá na cidade de Paulínia (SP), amanhã (15/08), a partir das 14 horas, e promete agitar os fãs da região.

Em relação à partida de estreia, quando venceu o Foz do Iguaçu Black Sharks, a Tempestade chega reforçada, com a escalação de alguns atletas que estiveram ausentes anteriormente por estarem se recuperando de contusão. “Estamos com praticamente força máxima, e mesmo que estejamos recuperando a capacidade física do elenco por conta do desgaste do primeiro semestre, iremos entrar com toda a força”, promete o treinador William Zapparoli.

Será a primeira vez que Storm e White Sharks se enfrentam. E para evitar surpresas, a comissão técnica e o elenco fizeram uma extensa lição de casa. “Estudamos tendências, assistimos vídeos e pesquisamos muito sobre cada um dos atletas adversários”, comenta o treinador.

Por conta de um acordo entre a Tempestade e o Paulínia Mavericks, todas as partidas da primeira fase da Superliga Centro-Sul como mandante do time azul acontecerão na cidade dos Touros. O confronto contra o Itapema começará às 14 horas, no Centro de Treinamento Itapoan, que fica na Avenida Prefeito José Lozano Araújo, Jardim de Itapoan. A entrada é gratuita.

Storm Feminino enfrenta maior desafio do ano

O time de flag feminino do São Paulo Storm enfrentará o principal desafio do ano até aqui, entre amanhã e domingo (dias 15 e 16 de agosto). Trata-se dos Playoffs Sudeste do Circuito Nacional de Flag, onde seis das melhores equipes do País se enfrentarão por uma das três vagas da fase final da competição. O torneio acontecerá em Saquarema, no Rio de Janeiro.

A Tempestade, que venceu as duas fases estaduais preliminares já realizadas até aqui, está no grupo B, com Vasco Patriotas e Cronos Football. Do outro lado da chave estão: Fluminense Guerreiras, Panteras FA (ES) e Spartans Football. Na primeira parte da competição, todos se enfrentam dentro do grupo. Definidas as duas melhores equipes de cada lado, se faz o cruzamento em semifinal e final. Sempre em turno único.

O maior desafio para o Storm será superar não só rivais e equipes de tradição, mas também de encontrar mais uma vez o Fluminense, time que ano passado acabou superando a Tempestade na final do Nacional e conquistou o Brasileiro, título que tinha ficado com as paulistas em 2013.

Mas mesmo que todos queiram vencer, está claro que o objetivo principal é conquistar a vaga para a superfinal, que acontecerá no fim do ano. Lá sim estará a taça de campeão brasileiro, esperando para cair nas mãos do grupo que mais merecer. E se depender do elenco do Storm, vai chover muito ainda até lá.

AGENDA DE JOGOS

Dias 15 e 16 de agosto a partir das 8h da manhã:
Rua 13, 260, Porto da Roça – Saquarema – RJ

Sábado 15/8
Jogo 1 8h00 Panteras X Fluminense
Jogo 2 9h15 Cronos X Storm
Jogo 3 10h30 Spartans X Panteras
Jogo 4 13h00 Vasco X Cronos
Jogo 5 14h15 Fluminense X Spartans
Jogo 6 15h30 Storm X Vasco

Domingo 16/8

Semifinais
Jogo 7 8h00 1º de A X 2º de B
Jogo 8 9h15 1º de B X 2º de A

Disputa 5º e 6º
10h30 3º de A X 3º de B

Disputa 3º e 4º
14h00 Perdedor de 7 X Perdedor de 8

FINAL
15h30 Vencedor de 7 X Vencedor de 8

Storm vence na estreia, apesar do susto

O São Paulo Storm venceu o Foz do Iguaçu Black Sharks na estreia da Superliga Centro-Sul, no último sábado (01/08), pelo placar de 17×12. O resultado foi construído na segunda etapa, depois da Tempestade estar perdendo por 12×03, o que demonstra que a caminhada até o título será feita na base da superação e terá que contar com muita força por parte do elenco.

A partida, que aconteceu na cidade de Paulínia (SP), começou com um Storm sonolento e pouco produtivo. Somado a isso, a Tempestade deveria lidar com uma série de desfalques em relação ao time que entrou em campo pela final do Paulista, duas semanas antes. Para se ter uma ideia, quatro atletas de linha ofensiva titular estavam fora do jogo. “Numa temporada tão longa e intervalo de partidas curto, precisamos contar com a força do elenco, uma vez que a ausência de peças importantes serão inevitáveis”, explicou o treinador principal, William Zapparoli.

A falta de atenção custou caro ao time paulista, que acabou fechando o primeiro tempo com 03×12 no placar – onde os únicos pontos do time paulista foram anotados por meio de um field goal com o kicker, Felipe Gadeilha. Era preciso uma mudança de atitude para buscar a virada, e ela veio após o intervalo.

Com um ataque revigorado e uma defesa mais intensa, a Tempestade Paulista passou a ganhar terreno e com boas campanhas, obteve a virada por meio de dois touchdowns anotados pelo recebedor Luiz Domingues, que fez a primeira partida com a equipe após a disputa do Mundial de futebol americano, no mês passado. Com os pontos extras na conta, o Storm fechou a fatura em 17×12.

“Temos muito a acrescentar para o Brasileiro e essa partida mostrou que todo jogo será decisivo”, ressaltou Zapparoli. O treinador não está errado e o que se espera é muita dificuldade pelo caminho. “Trata-se de um torneio que reúne alguns dos melhores times do Brasil, seria de se imaginar obstáculos pelo caminho todo”, completa.

O São Paulo Storm volta a campo no dia 15 de agosto, também em Paulínia, para enfrentar o Itapema White Sharks, equipe de Santa Catarina que também estreia na Superliga. Em breve, todos os detalhes da partida.