Arquivo da categoria: FalaNovato

#FALANOVATO: Schneider, mas pode chamar de superação

Schneider #13Sem sombra de dúvidas, estou vivendo um momento mágico, único e indescritível em minha vida. Mas, o caminho percorrido até esta fase de êxtase, não foi tão simples ou indolor. Inicialmente, muitos duvidaram acerca da realização deste sonho, muito por conta de um processo cirúrgico no qual fui submetido no início de 2014, onde tive algumas complicações identificadas após o procedimento. Ao todo foram 21 dias de internação, sendo 14 em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e nove em coma induzido.

Digamos que está foi a parte melancólica da história, mas não a menos importante, pois através dela pude aproximar-me mais de Deus, crescer como pessoa, refletir mais sobre a vida e suas possibilidades, e ser mais audacioso em minhas decisões e escolhas.

Mediante a este período em que estive de “molho” e em meio a um processo final de recuperação, encontrei no São Paulo Storm: uma injeção de ânimo e motivação. Sempre fui fascinado por esportes, e um pouco antes da cirurgia apaixonei-me por Futebol Americano.

Após um ano do procedimento, e cheio de entusiasmo, resolvi arriscar minhas fichas e realizar a seletiva da Tempestade Paulista e Deus novamente não falhou, ao se mostrar generoso e me abençoar com esta família extraordinária, que me ensina a cada dia o valor do companheirismo e da superação. Pois se tivermos irmãos leais ao nosso lado, e força o bastante para superar os obstáculos apresentados a cada passo dado à frente, alcançaremos êxito em tudo que fizermos.

Aproveitando o espaço, quero agradecer aos senhores Rulli #84 e Almeida #86 pelo grande apoio e incentivo comigo durante a Clínica de Futebol Americano que aconteceu em Fev/2015, indiretamente, vocês contribuíram para que eu estivesse aqui hoje dando este depoimento, sou grato a isso, e grato por me mostrarem o valor da família Storm.

Não vejo a hora de entrar em campo e defender os raios que foram confiados sobre meus ombros, e demostrar toda a minha garra, energia, vontade e disposição em prol do time, contribuindo sempre para uma ótima performance da equipe rumo a vitórias e títulos. Somos todos um, somos uma família!

#FALANOVATO: Tati Nassif em “cadê esse tal playbook?”

Fala novata stormJogar flag sempre foi uma vontade, mas nunca uma meta. Descobri por acaso que haveria uma seletiva e um amigo disse que o Storm era o melhor. Me inscrevi e fui. Depois de um catch com uma cambalhota para trás conheci o Flanax e entrei para o time. 
A vibração das meninas começou a me contagiar. Minha família e amigos tinham certeza que eu estava ficando louca! Mas eu me sentia cada vez mais em casa! As outras jogadoras eram super prestativas me acolhendo e dando toques delicados e simpáticos. Os técnicos sempre atentos às minhas dificuldades me deram um baita apoio quando quebrei o dedo no terceiro treino. Enquanto isso, foquei nos treinos físicos e comecei a ver diferenças bem rápido.
Pouco depois que voltei tomei aquele susto com a convocação do Paulista! Peraiiii, ainda preciso aprender a esperar a blitz!? Foi ai que comecei a me dar conta de quanto tudo aquilo significava para cada uma delas e que eu precisava dar o meu máximo! Cadê esse tal playbook para eu estudar? E as regras? Tudo que davam pra fazer, eu fiz! O campeonato foi uma experiência a parte no aprendizado tático e na convivência unida e respeitosa em um verdadeiro time! Hoje passo o dia esperando noticias, fotos e piadas, pois o Storm conquistou uma parte da minha vida que eu não imaginava! – Tati Nassif, #15
NOTA DO EDITOR : Tati tinha um casamento marcado em São Paulo, na tarde do sábado, primeiro dia do campeonato. Apesar disso, viajou para São Carlos (250km) sexta à noite, jogou a primeira partida contra o Underdogs de manhã e voltou correndo para a capital. Foi ao casamento e, na na mesma noite, voltou para o interior para jogar contra o Bulldogs! Foram mil quilômetros rodados em dois dias. Menção honrosa para o “Marido”, fã número um da WR, que esteve ao lado dela o tempo todo e ajudou o time com o gelo! A jogadora terminou o campeonato com 9/10 passes completos, dois touchdowns e cinco pontos extras.

#FALANOVATO: uma seletiva para mudar a vida

falanovatoNo dia 7 de Fevereiro de 2015, um sábado, precisamente a partir das 13 horas, estava para acontecer um evento que iria mudar minha vida…

De fato, o futebol americano foi um esporte que me apaixonou logo de cara. Comecei a acompanhar assiduamente e não parei mais. Depois de um tempo resolvi dar o próximo passo, jogar. Foi então que comecei a realizar testes em vários times, nunca tendo êxito em nenhum.

Foi então que, motivado pelo meu parceiro J.V Alvarez, que me falou sobre como era a família Storm, resolvi fazer esse último combine antes de começar a temporada. De início senti ansiedade, tensão, apreensão e outros sentimentos, mas depois de começar a reparar nos jogadores do time que estavam ajudando, como eles se envolviam, como queriam que cada um de nós entrasse para o time, para a família, tudo ficou mais fácil.

Dei o meu melhor, corri, pulei, incentivei, comemorei por estar presente naquele lugar e naquele momento. Desde então resolvi guardar o meu número do combine, esse aí da foto. Uma lembrança de uns dos dias inesquecíveis da minha vida.

A minha cor favorita é azul, coincidência ou não, a mesma cor do time que me deu oportunidade de praticar esse esporte por qual me apaixono a cada dia. Quero agradecer jogadores e diretoria por me receberem e por me deixarem vivenciar isso. Nem joguei ainda, mas acompanhar a equipe de fora foi como se já estivesse em campo. Estarei preparado assim que precisarem. #25 #gostorm #s1s #bluepride

#FALANOVATO: Alvarez, um quarterback de família

11082701_810627125657544_1985311866_nNeste último final de semana, tive o prazer de realizar um sonho: participar do meu primeiro jogo de Futebol Americano! Mesmo que tenha sido só para auxiliar os coachs e incentivar meus companheiros com boas energias na sideline, foi uma experiência que nunca vou me esquecer. Foi adrenalina do começo ao fim, junto com angústia, alegria, apreensão, determinação, até algumas emoções inomináveis. Todos os sentimentos em um só, com apenas um objetivo: fazer a equipe alcançar a vitória. Logo vou poder me juntar a minha nova família dentro de campo e dar meu máximo para continuarmos a vencer. Mas enquanto essa hora não chega, vou continuar na lateral, dando meu total apoio, pois uma família tem que estar sempre junta! Nós somos um só!