Storm vence Corinthians e está na final do Paulista

Com uma atuação digna do tamanho do clássico, o São Paulo Storm venceu o Corinthians Steamrollers por 10×03, em partida válida pelas semifinais do Paulista de futebol americano da Fefasp. Com o resultado, a Tempestade garantiu a presença na decisão do torneio, quando enfrentará o Campo Grande Gravediggers, dia 12 de julho – na cidade de Osasco (SP). Será a quarta final de estadual seguida para o time azul, que brigará pelo pentacampeonato.

“Muito se falou sobre a qualidade desse grupo e quanto ele ficava abaixo da nossa história. Tivemos dificuldades, mas quando entendemos que precisávamos recuperar nossa essência, encontramos o caminho”, revela o treinador principal do Storm, William Zapparoli.

O que poucos sabem é que a equipe passou por uma reformulação completa em 2015. Ao todo, mais de quinze atletas do time principal são novatos, uma nova comissão técnica foi montada e alguns nomes importantes do elenco se contundiram ainda no início da competição.

Mas engana-se quem pensa que para o Storm o campeonato acabou. “O favorito ao título é o Gravediggers, são eles que possuem a melhor campanha, a invencibilidade e dominaram todas as partidas até aqui. Nós continuaremos focados no trabalho e na execução do nosso planejamento, o que vier será fruto dessa dedicação”, explica Zapparoli.

O jogo: batalha nas trincheiras fez a diferença

As análises davam conta de que uma primeira campanha bem sucedida faria toda a diferença para o Storm. E foi com esse objetivo que a Tempestade entrou em campo. Logo de cara, um retorno que colocou o ataque na linha de 50 jardas. Lance após lance, a equipe azul ganhava território, apesar da pressão corinthiana. Já próximo à endzone, o running back Alan Giamas conseguiu furar o bloqueio e anotar o primeiro touchdown do jogo, que ainda teve o ponto extra convertido pelo kicker Felipe Gadeilha: 7×0.

Sem contar com o principal alvo do corpo de recebedores (Vitor Hugo), o Steamrollers buscava ganhar espaço, mas era dominado pela defesa azul. A disputa pelo espaço na linha era intensa e o perde e ganha era mínimo. Qualquer falha poderia ser fatal para qualquer um dos lados.

Esse foi o tom dali para frente. Corinthians avançando, mas sem efetividade, Storm impedindo pontos, mas sem conseguir aumentar o placar. Mas, antes que o segundo quarto acabasse, o Steamrollers ainda conseguiria diminuir a diferença por meio de um field goal anotado por Ramon Verdugo.

Todos sabiam que se a primeira parte do jogo demonstrou-se tensa e pegada, o segundo tempo tinha tudo para arrepiar. E foi o que aconteceu.

Entre trocas de posse de bola e tentativas frustradas de avanço, o Storm obteve uma vantagem que passaria a fazer toda a diferença dali para o fim da partida: field goal de 37 jardas anotado por Gadeilha e 10×03 no placar. Vantagem que somente seria igualada com um touchdown adversário.

Dali em diante foi ataque alvinegro contra defesa azul. Avanço de um lado e outro, linhas combatendo e jardas conquistadas e perdidas dos dois lados. Foi quando, em meio a uma tentativa de passe do Corinthians, faltando pouco mais de um minuto para o fim do jogo, o safety Anderson Forato interceptou a bola e colocou fim à tensão.

A interceptação que deu a vaga na final. | Crédito: Flávio Torres
A interceptação do safety Forato, que deu a vaga na final. | Crédito: Flávio Torres

A final do campeonato paulista acontecerá no dia 12 de julho, na cidade de Osasco – com horário a se confirmar. O estádio a receber a partida entre Storm x Gravediggers será a Arena Bradesco. Em breve, informações sobre ingressos.