Arquivo da tag: CBFA

Storm vacila e perde para White Sharks

Após três quartos impecáveis, onde chegou a liderar o placar por 17×00, o São Paulo Storm tomou a virada e amargou a primeira derrota na Superliga Centro-Sul. Com uma atuação de superação, o Itapema White Sharks levou a melhor por 20×21, em partida que aconteceu no último sábado (15). A derrota inesperada obrigará ao time paulista focar nas vitórias para continuar na briga pelo título.

“Em um campeonato equilibrado onde todas as equipes possuem diferenciais, derrotas como essa não são impossíveis. Teremos de redobrar o esforço para nos recuperar e a vitória é uma obrigação”, pondera o treinador principal da equipe, William Zapparoli.

E o desafio da recuperação passa exatamente pela necessidade de repetir a atuação das unidades da equipe no primeiro tempo. Sem dar qualquer chance ao adversário, o Storm não cedeu espaços e com dois touchdowns de passe (Jeff Henderson e Luiz Domingues) e um field goal de 38 jardas, convertido por Felipe Gadeilha, a Tempestade anotou 17 pontos. Destaque ainda para a atuação sólida do quarterback Diego Clouston, que terminaria a partida com um bom rating de 130.15 (aproveitamento de 63,2%).

Mas as faltas acabaram sendo um problema para a Tempestade. Tanto que o primeiro touchdown dos catarinenses acabou acontecendo em uma campanha que o White Sharks só obteve o firstdown por conta de uma bobeada da defesa. “Ao contrário do que aconteceu na partida anterior, nossa linha defensiva não conseguiu pressionar tanto e acabou dando espaço para a pontuação adversária”, explica Zapparoli.

Com a vantagem diminuindo e a pressão aumentando, o Storm chegou a efetivar a entrada do quarterback Gustavo Urlacher, que apesar de fazer boas corridas, não conseguiu levar o time da casa a outros touchdowns. Já a defesa, mesmo lutando, acabou sendo surpreendidade por uma trick play, o que deu ao Itapema a vantagem de um ponto no placar.

A emoção estava a flor da pele e com o ataque em campo, o Storm partiu para seu último e derradeiro drive. Carregou a bola o campo todo e, faltando pouco mais de oito segundos, posicionou a bola para um field goal de pouco mais de 25 jardas. Foi então que o inesperado aconteceu, e o field goal acabou indo para fora. Sem tempo no placar, restou ao time azul lamentar a falta de sorte.

Com campanha de 1-1 no Brasileiro, o Storm foca as ações na preparação para a partida contra o Arsenal, que acontecerá no Mato Grosso, em setembro. Não resta dúvidas de que será um jogo decisivo.

Storm pega o White Sharks pela segunda rodada do Brasileiro

A Superliga Centro-Sul entra na segunda semana de disputa e apresenta o próximo desafio para o time de futebol americano adulto do São Paulo Storm: o perigoso Itapema White Sharks, de Santa Catarina. O confronto acontecerá na cidade de Paulínia (SP), amanhã (15/08), a partir das 14 horas, e promete agitar os fãs da região.

Em relação à partida de estreia, quando venceu o Foz do Iguaçu Black Sharks, a Tempestade chega reforçada, com a escalação de alguns atletas que estiveram ausentes anteriormente por estarem se recuperando de contusão. “Estamos com praticamente força máxima, e mesmo que estejamos recuperando a capacidade física do elenco por conta do desgaste do primeiro semestre, iremos entrar com toda a força”, promete o treinador William Zapparoli.

Será a primeira vez que Storm e White Sharks se enfrentam. E para evitar surpresas, a comissão técnica e o elenco fizeram uma extensa lição de casa. “Estudamos tendências, assistimos vídeos e pesquisamos muito sobre cada um dos atletas adversários”, comenta o treinador.

Por conta de um acordo entre a Tempestade e o Paulínia Mavericks, todas as partidas da primeira fase da Superliga Centro-Sul como mandante do time azul acontecerão na cidade dos Touros. O confronto contra o Itapema começará às 14 horas, no Centro de Treinamento Itapoan, que fica na Avenida Prefeito José Lozano Araújo, Jardim de Itapoan. A entrada é gratuita.

Storm vence na estreia, apesar do susto

O São Paulo Storm venceu o Foz do Iguaçu Black Sharks na estreia da Superliga Centro-Sul, no último sábado (01/08), pelo placar de 17×12. O resultado foi construído na segunda etapa, depois da Tempestade estar perdendo por 12×03, o que demonstra que a caminhada até o título será feita na base da superação e terá que contar com muita força por parte do elenco.

A partida, que aconteceu na cidade de Paulínia (SP), começou com um Storm sonolento e pouco produtivo. Somado a isso, a Tempestade deveria lidar com uma série de desfalques em relação ao time que entrou em campo pela final do Paulista, duas semanas antes. Para se ter uma ideia, quatro atletas de linha ofensiva titular estavam fora do jogo. “Numa temporada tão longa e intervalo de partidas curto, precisamos contar com a força do elenco, uma vez que a ausência de peças importantes serão inevitáveis”, explicou o treinador principal, William Zapparoli.

A falta de atenção custou caro ao time paulista, que acabou fechando o primeiro tempo com 03×12 no placar – onde os únicos pontos do time paulista foram anotados por meio de um field goal com o kicker, Felipe Gadeilha. Era preciso uma mudança de atitude para buscar a virada, e ela veio após o intervalo.

Com um ataque revigorado e uma defesa mais intensa, a Tempestade Paulista passou a ganhar terreno e com boas campanhas, obteve a virada por meio de dois touchdowns anotados pelo recebedor Luiz Domingues, que fez a primeira partida com a equipe após a disputa do Mundial de futebol americano, no mês passado. Com os pontos extras na conta, o Storm fechou a fatura em 17×12.

“Temos muito a acrescentar para o Brasileiro e essa partida mostrou que todo jogo será decisivo”, ressaltou Zapparoli. O treinador não está errado e o que se espera é muita dificuldade pelo caminho. “Trata-se de um torneio que reúne alguns dos melhores times do Brasil, seria de se imaginar obstáculos pelo caminho todo”, completa.

O São Paulo Storm volta a campo no dia 15 de agosto, também em Paulínia, para enfrentar o Itapema White Sharks, equipe de Santa Catarina que também estreia na Superliga. Em breve, todos os detalhes da partida.

Dez motivos para não perder Storm x Lusa Lions

PARTIDAS_FA_lusaNo próximo domingo, a partir das 14 horas, São Paulo Storm e Lusa Lions se enfrentam pela primeira vez na história. A arena está definida: o estádio do Canindé. E não faltam motivos para você assistir uma das partidas que mais empolgarão o público paulista no ano de 2015. Enumeramos dez motivos para você não perder esse confronto. Mas se você não precisa de desculpa nenhuma, basta comprar o ingresso agora mesmo.

1- Infraestrutura de primeira
A partida acontecerá em um estádio capaz de oferecer toda comodidade ao público que comparecer para o jogo. Poucas vezes se oferece tamanha facilidade para estacionamento, chegada via transporte público e acomodações para um jogo de futebol americano na cidade de São Paulo.

2- Elencos dos dois lados
A Lusa foi a equipe que mais se reforçou para a temporada 2015 e essa será a primeira vez que os nomes estarão em campo. O Storm é um dos times mais tradicionais do estado e domina as competições realizadas em terras bandeirantes. Juntos, os times possuem o maior número de atletas paulistas convocados para a seleção brasileira de futebol americano.

3- O confronto Gardenal x Taylor
Eles são dois dos melhores jogadores do Brasil: Bruno Gardenal, pilar da defesa do Brasil Onças, e, Dhiego Taylor, o melhor linha ofensiva da seleção, terão um confronto a parte, cada um deles representando as cores azul e vermelha.

Gardenal, à esquerda, foi destaque recente em uma reportagem da revista Veja, ao lado de Taylor, à direita.
Gardenal, à esquerda, foi destaque recente em uma reportagem da revista Veja, ao lado de Taylor, à direita.

4- CBFA x TTd
O confronto entre as duas equipes marca uma importante aproximação no estado, uma vez que reúne um time que disputa o Brasileiro da CBFA e outro que disputa o também nacional, Torneio Touchdown.

5- A estreia dos novatos
O Storm aproveitará o amistoso para fazer a estreia do grupo de novatos que formam a classe 2015. Todos concordam que será uma oportunidade única para demonstrar, na prática, o que significa jogar futebol americano pela Tempestade Paulista.

10462852_724061694306698_8418936420754932566_n
Fratini em ação pelo Storm.

6- O reencontro com Leandro Fratini
O wide receiver, que por dois anos defendeu o Storm e jogou com os raios sob os ombros, sempre foi considerado um dos melhores atletas do País em sua posição. Mas perdeu espaço na seleção e acabou desembarcando no Canindé para a temporada 2015. Será a primeira vez que ele jogará contra a ex-equipe e o confronto com a secundária azul empolgará.

7- O xadrez dos treinadores
Zapparoli e Tidus fazem parte da nova geração de treinadores de futebol americano no Brasil. Ambos com menos de trinta anos, comandam Storm e Lions, respectivamente. A partida será uma excelente marca no currículo do vencedor e promete muito no quesito movimentação das peças do xadrez.

8- Food Trucks para quem gosta de comer
Para quem uma partida de futebol americano também pode ser um festival gastronômico, a organização preparou um food park próprio, onde 10 tipos diferentes de refeições serão oferecidas ao público.

9- Rivalidade
Storm e Lusa querem se encontrar faz tempo, mas nunca tiveram chance de fazer isso nos torneios que disputam. Mas a rivalidade não será menor e os dois lados prometem entregar o que o adversário merece.

10- Tudo isso só por R$ 20,00
Se você quer assistir a partida e participar desse evento único no estado de São Paulo, compre seu ingresso agora por somente R$ 20,00. Faça parte dessa rivalidade, que nasceu junto do confronto. #bluepride

Storm vence e segue invicto no Brasileiro de futebol americano

A equipe adulta masculina do São Paulo Storm mostrou que brigará pelo título brasileiro de futebol americano desse ano. Com atuação sólida de todas as unidades de campo, superou o Goiânia Rednecks pelo placar de 75 x 09, o que manteve o time com 100% de aproveitamento na chave da SuperLiga Centro Sul, dividindo a liderança com o Coritiba Crocodiles, do Paraná. Time esse que é justamente o adversário da próxima partida, que acontecerá no próximo dia 11, na cidade de São Paulo.

Logo de cara, a Tempestade Paulista mostrou que não estava para brincadeira, e tratou de abrir o placar já no retorno do kickoff, com um belo retorno do wide receiver Jeff Henderson. Com a vantagem, o Storm tratou de imprimir seu ritmo e depois de mais duas campanhas ofensivas bem encaixadas, que culminaram em touchdowns convertidos por meio de corridas do running back Alan Giamas, o time mandante já anotava 21×00 no placar.

Estabelecido o controle territorial, foi hora do Storm distribuir os passes. Com boas escolhas dos alvos, o quarterback Gustavo Urlacher encontrou o tight end Luis Domingues sozinho na endzone, e elevou a diferença para 28 pontos depois do chute extra convertido pelo kicker, Felipe Gadeilha.

Mas não era somente o ataque que demonstrava estar num dia inspirado, Com boa atuação do grupo defensivo, a Tempestade efetuou sua primeira interceptação do dia com o safety Iago Zerbone, atleta que ainda faria mais uma durante o segundo tempo. A recuperação da bola garantiu mais um touchdown para o Storm, agora por meio de um passe para o WR Vinicius Gaspar. Não bastasse, o grupo ofensivo do time paulista anotaria mais uma vez, por meio de um passe de Urlacher que encontrou o receiver Leandro Fratini na endzone.

Quase como um replay do primeiro tempo, o jogo recomeçou do mesmo jeito: touchdown de retorno com Jeff Henderson, que anotaria um terceiro TD, depois de um bom passe do quarterback Cauan Silva, que assumiria o comando do ataque durante a segunda parte da partida.

Contando com um jogo mais bem encaixado e algumas faltas da defesa do Storm, o Goiânia Rednecks conquistou pontos em duas das suas campanhas ofensivas. A primeira por meio de um field goal e o segundo com um touchdown de passe numa campanha que praticamente atravessou todo o campo de jogo.

Mas no foi só o time de Goiás que anotou pontos no segundo tempo. Com mais dois touchdowns corridos de Giamas (que completou o jogo com três) e Mateus Manning, além de outros dois por passe, que encontraram os wide receivers Henderson e Jesus na endzone, o Storm encerrou a fatura em 75 x09, não sem antes do cornerback Felipe Gadeilha levar para casa mais uma bola – a terceira da defesa na partida – depois de uma interceptação.

Com 100% de aproveitamento no campeonato brasileiro de futebol americano, o Storm volta a campo no próximo dia 11, agora para enfrentar o Coritiba Crocodiles. A partida, que acontecerá em São Paulo, colocará frente a frente os dois únicos invictos da SuperLiga Centro Sul e valerá uma vaga nas finais do torneio.

Enquanto espera mais um confronto do Storm no futebol americano, assista aos lances da partida: