Arquivo da tag: Storm

Storm estreia com vitória na SPFL

O São Paulo Storm entrou em campo, ontem, pela primeira rodada da São Paulo Football League (SPFL) para enfrentar um antigo rival – o Corinthians Steamrollers. A partida, que aconteceu no Canindé e reuniu ótimo público, cravou mais um capítulo importante na história de ambos e deixou claro o alto nível que os confrontos do campeonato trarão para a torcida paulista. Com um placar de 28×00, a Tempestade demonstrou superioridade do começo ao fim e deixou claro que pode brigar pelo título. A próxima partida acontecerá no dia 29/05, frente à Ponte Preta Gorilas.

O JOGO: Apesar de boas arrancadas do running back Alan Giamas (#26) por parte do Storm, ainda no primeiro quarto de jogo, a defesa do Corinthians Steamrollers conseguiu frear as campanhas ofensivas em Redzone. Para abrir o placar, a Tempestade Paulista teve que usar dos seus Special Teams para pontuar por meio de dois field goals (chutes), convertidos por Ramon Verdugo (#95), que curiosamente vestiu a camisa do adversário por anos. Enquanto isso, o Rolo Compressor ameaçava ao utilizar a força do seu principal jogador de ataque, o receiver Victor Hugo, que apesar do ímpeto, era bem contido pela defesa azul e branca. Sem grandes alterações, o intervalo se encaminhou em 06 X 00.

No segundo tempo, a Tempestade voltou focada e os ajustes promovidos pela comissão técnica fizeram efeito. A defesa, comandado pelo DC Carlos Zamarron, conseguiu protagonizar o lance que daria a confiança necessária para uma grande vitória: numa até então boa campanha ofensiva do Steamrollers, o quarterback adversário lançou um passe em direção à endzone que foi prontamente interceptado pelo DB Thiago “Chiplay” (e apesar de ter marcado o que seria um touchdown de 106 jardas, teve a pontuação anulada por uma falta de bloqueio). O ataque assumiu as rédeas e em uma bela corrida, o do RB Malcolm Gasque (#3) marcou seu primeiro TD com a camisa do Storm. O wide receiver Luiz Domingues (#9) conseguiu a conversão de dois pontos.

A partir dai o ataque adversário passou a errar e a Tempestade soube aproveitar o momento. Em boa campanha, o Storm conseguiu chegar na linha de uma jarda, e o QB Gustavo Urlacher (#10) entrou na endzone por meio de uma corrida.

Com mais uma boa campanha da defesa azul, que se aproveitou de excelentes jogadas da secundária e linebackers para devolver a bola ao ataque, que fechou a conta com um lindo touchdown de Domingues. O atleta da seleção brasileira recebeu um belo passe, venceu a marcação e acelerou pra endzone para dar números finais ao placar: Storm 28, Steamrollers 0.

O próximo compromisso do Storm na SPFL será no dia 29 de Maio, quando a tempestade enfrenta o Ponte Preta Gorilas pela segunda rodada do campeonato. Caso vença, o Storm garante sua chegada nos playoffs da competição.

Crédito foto: Salão Oval

A conexão entre São Paulo Storm e Campo Grande Gravediggers

Você certamente já ouviu falar da teoria dos seis graus de separação. E por incrível que possa parecer, ela também é válida para São Paulo Storm e Campo Grande Gravediggers, que se enfrentam no próximo domingo, dia 12 de julho, pelo título da SuperCopa São Paulo 2015, o Campeonato Paulista da Fefasp. A conexão é mais profunda do que se pode imaginar, já que um dos fundadores do time do Mato Grosso do Sul foi atleta da Tempestade. Seu nome: Lúcio Alves.

Nós entrevistamos Lúcio para saber tudo sobre essa estranha coincidência, que envolve personagens e histórias de ambas equipes, inclusive do porquê a equipe do MS ter coveiros como nome. Confira agora o pingue pongue:

Redação Storm: Você foi um dos fundadores do Gravediggers? Como é essa história?
Lúcio Alves: Durante os playoffs da temporada 2007/2008 foi lida uma mensagem do Silvio Torres, um grande fã dos Packers, convocando o pessoal da cidade a se reunir pra assistir o Super Bowl daquele ano. Acabamos nos reunindo na casa dele – o próprio Silvio, eu, Renan Portes e o Lucas Donha – completos estranhos com uma paixão comum. Dai nasceu a ideia da formação de um time na cidade e iniciamos os primeiros treinos com o pouco conhecimento que tínhamos. O nome veio de uma relação com a profissão do Silvio, que era técnico em necropsia.

Lúcio, no centro, em um dos primeiros treinos do Gravediggers, em 2008.
Lúcio, no centro segurando uma criança, em um dos primeiros treinos do Gravediggers, em 2008.
(RS) Em que circunstâncias você veio para São Paulo e descobriu o Storm?
(LA) Eu joguei com alguns integrantes do Storm no Pantanal Bowl de maio de 2008. Depois de conhecer o Danilo Muller pela internet, eu e o Lucas Donha fomos a Cuiabá jogar pelo Bandeirantes, um combinado com gente do país todo. Após isso fui a um treino do Storm em SP, tudo isso buscando alguma base pra seguir com a formação do Gravediggers. Em janeiro de 2009 me mudei para São Paulo depois de receber uma proposta de trabalho e não pensei duas vezes, procurei os amigos e fui treinar com o Storm.

(RS) Qual a sensação de ver um time de MS ter a chance de levar um título estadual frente ao time que você jogou por aqui?
(LA) É uma sensação boa ver que a semente que foi plantada anos atrás seguiu sendo cuidada pelas pessoas que entraram, se apaixonaram pelo esporte e fizeram do time sua família. Ao mesmo tempo gera certo conflito. Com os amigos que me acolheram no Storm joguei dois Pantanal Bowls, dois Sorocaba Bowls, um Torneio Touchdown e muitos amistosos, portanto se tornaram a minha família.

(RS) O estilo de jogo é diferente nos estados?
(LA) Muito. O nível de maturidade do esporte sempre esteve em estágios diferentes. Isso em decorrência do acesso a equipamentos que foi mais rápido em SP, acesso a informações e formação dos coachs, número de atletas disponíveis e equipes oponentes de excelente nível mais próximas.

(RS) Quem leva? 🙂
(LA) Estarei presente e espero um bom jogo, que se mantenha aberto até o último quarto, mas fico com o Storm até o fim.

Lúcio em ação pelo Storm.
Lúcio em ação pelo Storm.

Storm Feminino estreia na Fefasp no próximo domingo

PARTIDAS_FEM_FEFASP_CRONOSCom o objetivo de manter a equipe ativa e focada na disputa do brasileiro de flag football 5×5, o time feminino do São Paulo Storm entra em campo, no próximo domingo (17/05) para enfrentar o Cronos Football pela primeira rodada do campeonato estadual da Fefasp. O torneio contará com a participação de outras quatro equipes –  Paulínia Mavericks, Corinthians Steamrollers, Spartans Football e Underdogs Football. A rodada do fim de semana acontecerá em Guarulhos, no estádio da Ponte Grande.

A base do time que entra em campo pela Tempestade será o mesmo que venceu a etapa estadual do Circuito Nacional de Flag há pouco mais de um mês. A expectativa é que o período de treinos entre as competições tenha contribuído para apagar os erros cometidos quando a equipe enfrentou o mesmo Cronos e venceu por 33×00. Placar que não representou o que se viu em campo de maneira absoluta.

Além do confronto contra o maior rival – Spartans Football – a competição proporcionará ao Storm o confronto contra o Corinthians Steamrollers, que desde 2010 já agita os campos do futebol americano masculino. Sem dúvida, será um desafio a parte para o campeonato. Sobre a fórmula de disputa, ela é simples: após o turno único, as quatro melhores equipes jogam uma semifinal e final.

O jogo São Paulo Storm x Cronos Football começa às 13 horas, com entrada franca. O endereço do Estádio da Ponte Grande é Avenida Domingos Fanganielo, 317 – Guarulhos (SP).

Dez motivos para não perder Storm x Lusa Lions

PARTIDAS_FA_lusaNo próximo domingo, a partir das 14 horas, São Paulo Storm e Lusa Lions se enfrentam pela primeira vez na história. A arena está definida: o estádio do Canindé. E não faltam motivos para você assistir uma das partidas que mais empolgarão o público paulista no ano de 2015. Enumeramos dez motivos para você não perder esse confronto. Mas se você não precisa de desculpa nenhuma, basta comprar o ingresso agora mesmo.

1- Infraestrutura de primeira
A partida acontecerá em um estádio capaz de oferecer toda comodidade ao público que comparecer para o jogo. Poucas vezes se oferece tamanha facilidade para estacionamento, chegada via transporte público e acomodações para um jogo de futebol americano na cidade de São Paulo.

2- Elencos dos dois lados
A Lusa foi a equipe que mais se reforçou para a temporada 2015 e essa será a primeira vez que os nomes estarão em campo. O Storm é um dos times mais tradicionais do estado e domina as competições realizadas em terras bandeirantes. Juntos, os times possuem o maior número de atletas paulistas convocados para a seleção brasileira de futebol americano.

3- O confronto Gardenal x Taylor
Eles são dois dos melhores jogadores do Brasil: Bruno Gardenal, pilar da defesa do Brasil Onças, e, Dhiego Taylor, o melhor linha ofensiva da seleção, terão um confronto a parte, cada um deles representando as cores azul e vermelha.

Gardenal, à esquerda, foi destaque recente em uma reportagem da revista Veja, ao lado de Taylor, à direita.
Gardenal, à esquerda, foi destaque recente em uma reportagem da revista Veja, ao lado de Taylor, à direita.

4- CBFA x TTd
O confronto entre as duas equipes marca uma importante aproximação no estado, uma vez que reúne um time que disputa o Brasileiro da CBFA e outro que disputa o também nacional, Torneio Touchdown.

5- A estreia dos novatos
O Storm aproveitará o amistoso para fazer a estreia do grupo de novatos que formam a classe 2015. Todos concordam que será uma oportunidade única para demonstrar, na prática, o que significa jogar futebol americano pela Tempestade Paulista.

10462852_724061694306698_8418936420754932566_n
Fratini em ação pelo Storm.

6- O reencontro com Leandro Fratini
O wide receiver, que por dois anos defendeu o Storm e jogou com os raios sob os ombros, sempre foi considerado um dos melhores atletas do País em sua posição. Mas perdeu espaço na seleção e acabou desembarcando no Canindé para a temporada 2015. Será a primeira vez que ele jogará contra a ex-equipe e o confronto com a secundária azul empolgará.

7- O xadrez dos treinadores
Zapparoli e Tidus fazem parte da nova geração de treinadores de futebol americano no Brasil. Ambos com menos de trinta anos, comandam Storm e Lions, respectivamente. A partida será uma excelente marca no currículo do vencedor e promete muito no quesito movimentação das peças do xadrez.

8- Food Trucks para quem gosta de comer
Para quem uma partida de futebol americano também pode ser um festival gastronômico, a organização preparou um food park próprio, onde 10 tipos diferentes de refeições serão oferecidas ao público.

9- Rivalidade
Storm e Lusa querem se encontrar faz tempo, mas nunca tiveram chance de fazer isso nos torneios que disputam. Mas a rivalidade não será menor e os dois lados prometem entregar o que o adversário merece.

10- Tudo isso só por R$ 20,00
Se você quer assistir a partida e participar desse evento único no estado de São Paulo, compre seu ingresso agora por somente R$ 20,00. Faça parte dessa rivalidade, que nasceu junto do confronto. #bluepride

#FALANOVATO: Tati Nassif em “cadê esse tal playbook?”

Fala novata stormJogar flag sempre foi uma vontade, mas nunca uma meta. Descobri por acaso que haveria uma seletiva e um amigo disse que o Storm era o melhor. Me inscrevi e fui. Depois de um catch com uma cambalhota para trás conheci o Flanax e entrei para o time. 
A vibração das meninas começou a me contagiar. Minha família e amigos tinham certeza que eu estava ficando louca! Mas eu me sentia cada vez mais em casa! As outras jogadoras eram super prestativas me acolhendo e dando toques delicados e simpáticos. Os técnicos sempre atentos às minhas dificuldades me deram um baita apoio quando quebrei o dedo no terceiro treino. Enquanto isso, foquei nos treinos físicos e comecei a ver diferenças bem rápido.
Pouco depois que voltei tomei aquele susto com a convocação do Paulista! Peraiiii, ainda preciso aprender a esperar a blitz!? Foi ai que comecei a me dar conta de quanto tudo aquilo significava para cada uma delas e que eu precisava dar o meu máximo! Cadê esse tal playbook para eu estudar? E as regras? Tudo que davam pra fazer, eu fiz! O campeonato foi uma experiência a parte no aprendizado tático e na convivência unida e respeitosa em um verdadeiro time! Hoje passo o dia esperando noticias, fotos e piadas, pois o Storm conquistou uma parte da minha vida que eu não imaginava! – Tati Nassif, #15
NOTA DO EDITOR : Tati tinha um casamento marcado em São Paulo, na tarde do sábado, primeiro dia do campeonato. Apesar disso, viajou para São Carlos (250km) sexta à noite, jogou a primeira partida contra o Underdogs de manhã e voltou correndo para a capital. Foi ao casamento e, na na mesma noite, voltou para o interior para jogar contra o Bulldogs! Foram mil quilômetros rodados em dois dias. Menção honrosa para o “Marido”, fã número um da WR, que esteve ao lado dela o tempo todo e ajudou o time com o gelo! A jogadora terminou o campeonato com 9/10 passes completos, dois touchdowns e cinco pontos extras.